A colagem na pintura

“Alguns dicionários definem a técnica da colagem como um procedimento que consiste em colar sobre um suporte, recortes ou fragmentos de papel e outros materiais heterogêneos com a finalidade de criar um desenho ou uma composição. Apesar desse procedimento ser conhecido no Japão desde o século X, foram os cubistas Pablo PicassoPablo Picasso

, George BraqueGeorge Braque

e Juan GrisJuan Gris

que deram um maior destaque ao introduzi-lo em pinturas realizadas com técnicas a óleo e aguarelas. As colagens estimularam o desenvolvimento criativo de artistas que começavam a se distanciar das técnicas tradicionais de pintura a óleo, já pouco apropriadas para a época. A partir desse momento, muitos artistas que apreciavam a intervenção casual, as técnicas mistas e a manipulação de novos materiais, o praticaram com profusão nas suas obras; entre eles, alguns fauvistas como Henri MatisseHenri Matisse

, os dadaístas como Kurt SchwittersKurt Schwitters

e Jean Arpjean arp

e surrealistas como Max Ernst.max ernst
Apesar da aparente simplicidade do procedimento, a colagem está mais para um exercício reflexivo do que simplesmente se sentar, recortar e colar papéis de diferentes texturas e cores. A colagem requer o esforço de aprender a resumir o modelo em poucas formas planas, em alguns papéis recortados ou papiers collés tirados de revistas, jornais ou cartolinas coloridas. A técnica da colagem implica em unir ideias, elementos visuais que possam dar como resultado uma composição satisfatória. Possui um efeito libertador, pois o desenvolvimento físico do exercício permite reflectir e interpretar a forma de como percebemos os corpos e, inclusive, criar novos efeitos. Essa disposição diante do modelo, que significa uma nova avaliação de ideias e conceitos, faz com que esta se diferencie de forma considerável de outras técnicas pictóricas mais conhecidas.

 

Com a prática da colagem, descobrirás que é possível compor sem ter que se preocupar em reproduzir adequadamente as formas dos objectos, as suas superfícies e tampouco as suas proporções reais, assim como experimentar as relações estabelecidas entre as formas coloridas além de produzir efeitos relacionados com o contraste e as gamas de cores harmónicas. As vibrações e discordâncias cromáticas resultam mais espectacularmente quando as cores dos papéis utilizados são intensos, complementares e, aproximadamente, do mesmo valor tonal. O efeito de contraste entre as cores aparece nas bordas das zonas de cores ambíguas, de forma que, para criar uma colagem que apresente a máxima tendência, deve-se possibilitar o maior número de contacto e superposição entre os diferentes recortes coloridos.”

Página 32, Técnias Mistas Mais Comuns

(imagens retiradas da WEB, caso alguma imagem seja sua, posso colocar identificação, ou retirá-la)